Realização de eventos: entenda as normas da ANVISA

Realização de eventos: entenda as normas da ANVISA

Toda empresa sabe que segurança e higiene são pontos fundamentais para a realização de eventos. Além de garantir a comodidade das pessoas, se ater às regulamentações da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é um quesito obrigatório para que seu evento não seja cancelado ou interditado pela órgão.

–> Já escolheu o seu espaço para eventos de qualidade? Clique aqui!

A negligência, falta de adequação dos espaços para eventos e não atenção aos detalhes organizacionais, logísticos e de prevenção, podem abalar a credibilidade e reputação da empresa na realização de eventos em caso de acidentes e contratempos. Sempre bom evitar, não é?

Normas para realização de eventos

Confira uma lista com os principais itens, regras e normas da ANVISA para realização de eventos dispostas, mais precisamente, na resolução RDC Nº 216 do órgão e vistoriadas pela AEBEOC (Associação Brasileira de Empresas de Eventos):

Cuidados com os alimentos
na realização de eventos

Todas as etapas descritas abaixo precisam ser muito bem vistoriadas e cuidadas, porém, sem dúvida, o ponto crucial para a realização de eventos que atendem as disposições da ANVISA, parte dos cuidados com o transporte, manuseio, armazenagem e preparação de alimentos. Confira:

• As matérias-primas, ingredientes, alimentos e embalagens utilizadas na realização de eventos precisam apresentar boas condições higiênico-sanitárias, atendendo as características conforme as legislações de cada categoria produtora.

 • Alimentos em diferentes estados de conservação e preparo precisam ser mantidos separados uns dos outros. Ou seja, deve-se evitar o contato entre alimentos crus, semi preparados e prontos, assim como os funcionários que manusearem um alimento em um estado de preparo, precisam realizar a higiene ideal das mãos antes de manusear outro.

realizar-eventos

• Alimentos perecíveis devem ser expostos à temperatura ambiente apenas o necessário para que o estado de conservação e a velocidade de decomposição não alterem a qualidade higiênico-sanitária da comida. Por isso, na hora de procurar espaços para realizar eventos, atente aos locais destinados à conservação de todos os alimentos.

• Os alimentos das mais variadas espécies (congelados e frescos) precisam ser armazenados de maneira correta e na temperatura ideal indicada para cada produto. O tratamento térmico deve ser avaliado pelos funcionários profissionais traçando um paralelo entre temperatura e tempo, levando em consideração as mudanças na textura e cor na parte central do alimento.

• Quando mantido a uma temperatura de 4ºC, o prazo máximo de consumo de um alimento é de até 5 dias, quando a capacidade de refrigeração dos alimentos for mais alta que 4ºC ou menor, o prazo de consumo aumenta e diminui, respectivamente.

Atente ao espaço físico na hora de realizar eventos

Ao escolher o espaço para eventos ideal para a realização do seu, é preciso analisar algumas questões espaciais ou ainda, possíveis adequações estruturais as quais as edificações podem apresentar maior flexibilidade. A resolução da ANVISA para realizar eventos indica que:

• As edificações para realização de eventos devem ser projetadas de forma a facilitar o fluxo ordenado e evitar o cruzamentos entre etapas de organização. Tornando mais cômoda a operação, manutenção, limpeza e quando for necessária, desinfecção de ambientes sem a necessidade de interdição total do espaço ou do risco de generalização.

normas-para-realizacao-de-eventos

Piso, paredes e o teto do espaço para eventos devem possuir revestimento impermeável e fácil de lavar. Precisam ser mantidos de forma íntegra, conservados, livres de rachaduras, trincas, goteiras vazamentos, infiltrações, bolores ou descascamentos.

• As instalações de água corrente, conexões de rede de esgoto, fossa e caixa de gordura precisam ser sifonadas e possuir grelhas que facilitem o fechamento. Além disso, estas instalações precisam possuir uma dimensão compatível ao volume de resíduos. Afinal, não seria nada legal se no meio da realização do evento os banheiros e canos entupissem e espalhassem o mal cheiro por todo lado, não é?

• As instalações sanitárias e vestiários do espaço para evento não devem se comunicar diretamente com a área de preparação de alimentos, refeitórios ou armazenagem dos mesmos para evitar contaminações. Estas instalações ainda precisam ser supridas constantemente de produtos destinados à higiene pessoal.

• Os equipamentos, móveis e utensílios utilizados na realização de eventos precisam passar por revisões e manutenções periódicas, assim como a calibração de instrumentos, seja para qualquer fim (preparação de alimentos, estruturação, ou entretenimento), a fim de garantir a segurança das pessoas e precisão.

Controle de vetores e pragas

A ANVISA junto ao Ministério da Saúde possuem três resoluções que orientam os processos higiênico-sanitários para a eliminação de vetores e pragas urbanas, que quando não controladas e prevenidas, são capazes de contaminar direta ou indiretamente os alimentos e bebidas e transmitir agentes infecciosos através do transporte biológico, sendo os insetos, roedores e pássaros os mais comuns. Confira as regulamentações para fazer um evento:

RDC 218 – ANVISA

RDC 275 – ANVISA

RDC 216 – ANVISA

Além das normas para realização de eventos criadas pela ANVISA, a Associação Brasileira de Controle de Vetores e Pragas (ABCVP), ainda dispõe de todas as leis e acordos trabalhistas de categorias específicas para a padronização das ações de prevenção, confira aqui.

Documentação e Registros

É imprescindível checar todos os alvarás e registros do espaço para evento. Desde o alvará de autorização do pré-projeto do evento concedido pela prefeitura, o auto de vistoria do corpo de bombeiros (AVCB), a autorização do ECAD (em caso de utilização de alguma reprodução musical), autorização da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) quando o evento for para mais de 250 pessoas, e a autorização da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU), em caso de eventos de rua.

realizacao-de-eventos

Cada município possui uma regulamentação diferente sobre as autorizações necessárias para a realização de eventos, por isso, é preciso consultá-las junto a sua prefeitura. A ANVISA por sua vez, mantêm um padrão nacional de qualidade em normas para eventos, traçando os documentos necessários para que a vigilância sanitária autorize a realização do mesmo. Confira:

• Implementação e documentação do controle e garantia de qualidade dos alimentos preparados (realizado pelo estabelecimento).

• Elaboração de manual de boas práticas, que deve conter:

  1. Instruções sequenciais das operações;
  2. Frequência de execução;
  3. Nome, cargo e função dos responsáveis pelas atividades;
  4. Assinatura do responsável pelo estabelecimento.

Este manual precisa estar à disposição dos funcionários e aos agentes sanitários, quando solicitado, e precisa ser mantido pelo período de 30 dias contados a partir da data de preparação dos alimentos.

• Implementação de procedimentos operacionais padronizados em espaços para eventos, que deve conter:

  1. Higienização de instalações, equipamentos e móveis;
  2. Controle integrado de vetores e pragas urbanas;
  3. Higienização do reservatório;
  4. Higiene e saúde dos manipuladores.

Como dito, é necessário checar junto aos órgãos regulamentadores do seu município as normas para realização de eventos necessária para não ter nenhum problema durante a organização. Ficar atento aos detalhes é fundamental, por isso confira todos os itens dispostos na RDC 216 aqui.

                 

Equipe Buscaespaço  -


1